quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O Pequeno Monstro

Quando eu penso que já li de tudo e que nada mais me espanta ou me indigna, sempre tem alguém que consegue me voltar para a podridão do mundo. Estamos em um período em que catástrofes naturais devastam o mundo e que em consequência disso países pobres estão em estado calamitoso, mas parece que mesmo assim há gente que consegue mimar o filho e cercá-lo em um mundo falso onde ele e sua família desconhecem o sofrimento dos outros.
Pois, foi isso que aconteceu na Escócia. Moya Wren-Campbell, uma mulher de 40 anos vendeu sua residência para pagar os mimos da pequena Madison Wren-Campbell (O MONSTRINHO) de 9 aninhos, que cuti cuti né? Sim, isso mesmo a mãe estava cansada de desembolsar 5 mil libras por mês em salão de beleza para Madison, isso sem contar o guarda roupa abarrotado de peças de grife e que precisa de uma manutenção constante.


Agora para que tudo isso? O sonho de Moya era torna sua filha uma modelo-mirim mundialmente famosa e, mesmo com tanto "investimento", o que foi arrecadado até agora com prêmios conquistados pela pequena "Gisele Bundchen"  não são o suficiente para pagar os estragos na conta bancária feitos pela menina.
A situação da família parece piorar, já que o monstrinho está dando ainda mais trabalho aos pais depois que perdeu a mordomia de seu lar, os familiares levarão mãe e filha para um programa de auditório da tv britânica (algo parecido com o Programa da Márcia ou o Casos de Família) para que um terapeuta convença Moya a reeducar sua filha. Na verdade acho que um Exorcista resolveria de forma mais eficiente o caso.

3 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Ah, agora sim consegui comentar nesse artigo, o qual achei interessantíssimo.
Bom, eu acho que se preocupar com o futuro do filho é válido. Que pai ou mãe não quer que o filho se dê bem nas vidas? Mas eu acho que tudo guardadas as devidas proporções. Acho ridículo por exemplo, esse caso do post em questão. Me lembrou muito aquela menina metida do filme da Fantástica Fábrica de Chocolates. Esse tipo de atitude por parte dos pais estraga muito a criança no futuro.

Marcos disse...

infelizmente esse processo de transformar pessoas em um produto tá começando cada vez mais cedo. Esse é um bom exemplo. A criança nesse caso é a única inocente.

Marcos disse...

Pode-se observar outro caso parecido com algumas crianças q atuam nas telinhhas ou nas telonas, desenvolvendo papéis q provavelmente elas não têm maturidade para tal. Além disso leva a quem assiste a achar q aquela criança agindo com esperteza e malícia d adulto é lindo, é fofo. Vale lembrar q banana amadurecida às pressas com carbureto, perde e muito em qualidade!Essa personagem mirim Rafaela na novela "viver a vida" é um bom exemplo disso.